quinta-feira, 23 de junho de 2011

Para o bebê, o melhor leite é o da mãe. Postagem Coletiva

Eu, Bábara Pata sendo amamentada em dezembro de 1980

Beatriz sendo amamentada por Bábara Pata em fevereiro de 2011
Não sou tão intelectual, quase não leio livros, mas enfim, a sabedoria popular muitas vezes define informações que podem mudar opiniões de pessoas independente da instrução ou da  classe social.
Então vim aqui deixar minha contribuição contando minha experiência ou quem sabe vivência de mãe de primeira viagem, que amamenta até os dias de hoje.
A Beatriz aos 2 anos e 4meses ainda mama no peito para dormir, SIM eu tenho leite, e posso dizer que ela NUNCA precisou de um antibiótico, só ficou algumas vezes gripada acompanhada de tosse, e segundo a pediatra que nos acompanha desde o dia do nascimento, isso é um dado muito importante, ver todo histórico da Beatriz no consultório e ver que ela como pediatra nunca receitou um antibiótico.
O leite Materno foi o grande bem em nossas vidas, digo NOSSAS porque bem sabemos que quando o filho fica doente abala as estruturas da família toda. E sabemos que ver nossos filhos precisando tomar injeções, remédios fortes, ficar internado, e todos os procedimentos médicos dá um aperto no coração, uma vontade de trocar de lugar não judiar deles.
Essa informação da importância do leite materno eu obtive quando participei do curso de gestante oferecido gratuitamente pela Unimed de Campo Grande-MS, aberto a toda população, não necessariamente aos associados. Depois lembrei que minha mãe (moro longe de toda minha família desde 2003, mas minha mãe veio nos visitar qdo Beatriz nasceu) dizia que eu fui amamentada até aos 3 anos, e enfim quando a Beatriz nasceu comecei a por em prática tudo que aprendi.
Não foi nada fácil! Eu pude amamentar a Beatriz passadas mais de 1h do seu nascimento, meu mamilo não era protuso, mesmo seguindo todas as instruções da obstetra, meu mamilo era miudinho, tive auxílio das enfermeiras, da pediatra e da obstetra, Beatriz perdeu peso nos primeiros 15 dias de vida, e até os 2 meses a amamentação foi doloridíssima, a “pega” nem sempre era correta. Se não fosse o Rafael meu amado esposo (digo que este foi e ainda é o maior incentivador), dicas de outras mães, o curso de gestante e mais uma vez a pediatra e a obstetra, não sei se a Beatriz tinha essa saúde toda e eu o PRAZER de amamentar.
Tive fissuras nos mamilos, sangramento e bolhas. Chorava de dor em alguns momentos isso durou apenas dois meses depois foi tudo maravilhoso, até a tal cólica dos 3 primeiros meses foi tranqüila, durou apenas uma semana com hora marcada, sempre as 10hs da manhã.
A amamentação exclusiva durante os seis meses foi EXCLUSIVA mesmo, nada de água ou chás e amamentação em livre demanda até mais de 1 ano, depois comecei impor horário para as mamadas para não atrapalhar as refeições principais. Chupeta e mamadeira conheceu aos 1º meses porque ganhou uma boneca que vinha com estes “acessórios” mas a Beatriz nunca chupou chupeta,tentei dar suco na chuquinha, mas por medo dela parar de mamar dava no copo.
Sempre que converso com alguma “recém mãe” conto minha experiência e digo pra não desistir da amamentação, mas ouço muitas dizerem que tem pouco leite, que o pediatra indicou uso de mamadeira com leite artificial para complementar, ou também uso do Leite Artificial para que o bebê e a mãe também possa dormir a noite inteira. Muitas vezes o desmame acontece cedo porque a mãe não tem apoio e recebe instruções dos parentes e amigos de forma errada, mas eu não sou ninguém pra colocar isso em discussão aqui, cada mãe tem o direito de agir da maneira que sente que é melhor pro seu filho.
Eu digo: Valeu cada dor que eu senti, cada lágrima de escorreu no meu rosto e hoje ver minha filha saudável, graças Deus por me permitir amamentar!
Segue o link do convite no facebook para entenderem o motivo desta postagem coletiva.
Estou no grupo Aleitamento Materno Solidário http://www.facebook.com/home.php?sk=group_179177902093754 muito legal estar por lá, tem profissionais com enfermeira, pediatra e mães experientes que ajudam mesmo!
Mãe, para o bebê, o melhor leite é o da mãe.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Primeira vez em dose dupla!

Primeira vez (1)que a mamãe aqui faz um vestido caipira pra filha, aliás primeira roupa pra filha! :-)
 Ganhei a maquina de costura do Rafa em 2008, achando que ia costurar muito! Fiz um vestido de malha (todo torto) para eu usar, fiz um travsseiro comcarinha de cachorro e alguns consertos, e SÓ!

Depois de muita pressão, incentivo resolvi fazer, mas por pouco não desisti, se não fosse incentivo de minha mãe e do maridão, e é claro foi pela honra também, ia guardar tudo e ficar...

Foi a primeira vez (2) também que a Beatriz dançou na festa junina da escola, não imaginava que ela estaria tão desinibida e a mãe aqui tão boba! :-)

Foi um dia muito lindo, estiveram conosco de um casal de amigos Rafael e Renata, meus pais que estão passando uns dia de férias em casa e noósss 3 rsrsrs. Foi em uma fazenda, muito legal para eventos, tinha barracas, brinquedos, bingo, tudo decorado!








Desejo uma semana linda para todos, bom descanso pra quem puder aproveitar o feriado e um bom trabalho para aqueles que não param no feriado!

Deus os abençoe sempre!

sábado, 11 de junho de 2011

10° Dia dos Namorados!

aqui comemorando 9 anos de namoro dia 30-12-10

Quando alguém chega em mim falando que namora a 10 anos ou mais, logo faço brincadeira dizendo: Poxa 10 anos de namoro, tá enrolando hein! :-)


Mas nesse caso digo com orgulho, eu namoro este tempão meu eterno namorado o Rafael. Tem gente que diz que vivemos numa eterna lua-de-mel, possuímos até amigos admiradores hehehe. E tem gente que na nossa época de namoro se sentia incomodado com tanto beijo em público, tanto grude, tanta demosntração de amor...

Não somos exceção, conheço outros casais que vivem assim, meus pais, por exemplo, com 35 anos de casados,mais o tempo de namoro, parecem estar sempre enamorados.

Desejo de coração que mais casais vivam assim, que não deixem apagar a paixão, não deixem de sentir desejo, amor, confiança, e inúmero sentimentos bons pelo outro.

Não vivo um conto de fadas, também não vivo fora da realidade, discutimos SIM, mas não passa de algumas horas, não dormimos brigados, isso em casa é lei! "Dar o braço a torcer" e não esperar com orgulho pra que o outro fazer isso, quem sabe num outro momento vocês poderam discutir sobre tal assunto novamente. Não querer ter razão sempre, geralmente isso é a faísca que faltava pra queimar a lenha do ódio. Ceder, não é sianl de fraqueza!

Minha dica é: lembrar sempre como tudo começou e fazer coisas daquele tempo, lembrar de como era bom o beijo, os encontros, as loucuras de amor... ui deu até frio da barriga agora : D.

Diálogo sempre! Se eu sinto que tem algo que não está me agradando eu falo mesmo! Mesmo se isso possa me constranger ou o contrário.

No mais desejo aos namorados, casados, amasiados, amigados, e qualquer nome que queiram dar a duas pessoas que se amam, que aproveitem este domingo de dia dos namorados juntinhos e que sejam felizes sempre todos os dias, até mesmo naquela segunda feira brava com muitos “pepinos” pra resolver ou muitos “limões” pra espremer. Liga pro seu amor e diga o quanto ele(a) é importante em sua vida.

Rafael da Bárbara ou Babi do Rafa, como Deus sempre permitu!





sexta-feira, 3 de junho de 2011

Eu digo BASTA e você?

Blogagem coletiva
Saiba mais aqui :
http://redemulhereme.blogspot.com/2011/06/blogagem-coletiva-eu-digo-basta-e-voce.html

Bom, quem me conhece bem, sabe que eu amamento a Beatriz desde que nasceu em 03 de fevereiro de 2009 até hoje em dia...e diga-se de passagem ela não quer largar não viu :-).

A Beatriz mamou os seis meses exclusivos e durantes estes seis meses nós 3 eu, rafa e beatriz saíamos pra passear, fomos em festas de aniversários, restaurantes, shoppings,supermercados, e o bebe mamando em livre demanda, como a própria palavra diz “livre” mama a qualquer hora e não escolhe o lugar, então eu procurava um lugar pra sentar se estivesse num shopping ou mercado por exemplo, colocava uma fraldinha pra tampar o “peitão” e pronto! Voltava a continuar oque estava fazendo e quase sempre ela dormia mamando.

Eu não podia deixar de sair de casa durante estes seis meses de amamentação exclusiva, afinal minha vida social e de dona de casa dedicada não podia parar! E foi muito bom, nunca fui repreendida e nem percebia se alguém me olhava diferente, ao contrário, ganhava elogios principalmente de mães e avós, pelo ato de amamentar.

Não que eu fazia questão de amamentar em público, mas tinha momentos que não tinha como deixar a guria chorando e “voar” pro aconchego do meu lar.

No dia do batizado dela, por exemplo, amamentei dentro da igreja.

Acredito que o momento em que o meio seio pode ter ficado mais á mostra, foi em nossa viagem à Natal-RN na área da piscina e praia, quando a Beatriz tinha pouco mais de 1 ano, e mesmo assim sempre tinha a fralda pra dar uma “tampadinha”, mas nesses locais tem muito seio à quase mostra sem precisar amamentar e alguém é repreendida por isso? Claro que não!

Mamães, Amamente seu filho, isso não é faltar com respeito e nem motivo de ser repreendida em público, e ir ao banheiro pra amamentar é como se uma pessoa fosse alomçar ou comer um lanche dentro de um banheiro.

Esta é minha opnião!

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Birras e Manhas


Foto da 3ªSaída Fotográfica By Laudiane Lira, a Beatriz esta linda e com cara de quem está aprontando.

Li reportagens não me lembro onde,  também no livro A vida do bebê, dizendo que até os 3 anos as birras, manhas são normais e constantes. Aqui em casa estamos vivendo esta fase e a Beatriz estas prestes a completar seus 2 anos e 4 meses ainda, nessas horas que penso em ter ou não mais um filho...
 Mas logo passa este pensamento bobo, porque além de não querer que a Beatriz complete logo seus 3 anos, (quero curtir esta fase deliciosa dos descobrimentos e das gracinhas) também queremos muito ter mais filhos. E ela não é birrenta e manhosa sempre, tem seus momentos e graças a Deus são poucos, ela não nos agride.
Alem de conversar muito, estamos utilizando a técnica do castigo, ou seja, deixamos de dar algo que ela goste muito. E já que ela tem memória boa, lembramos  do castigo como exemplo pra que não faça outra vez.  
Alguns exemplos do que acontece aqui em casa, detalhe: sempre em tom de voz normal, sem gritos:
1-Beatriz não pode por a mão ai, filha.
Mas eu eu quero por.
Mas filha, vc vai se machucar.
2-Eu quero me machucar.
Beatriz tem que comer.
Mas eu não quero comer.
3-Beatriz se comer doce vai doer a barriga.
Mas eu quero que dói a barriga.
4-Cuidado vai machucar o cachorro e ele pode te morder.
Quero que ele me morde.
Mas você vai sentir dor e chorar.
Eu quero sentir dor e chorar.

Ah! E quando corre e cai, não chora senta e diz: Eu quero ficar aqui no chão! Principalmente se avisamos que não era pra correr.

E ai,  você mãe e pai que lê neste momento, oque você me diz?

Opnião de pessoas que não são pais (ainda) não vale, ok? :-)

Mas no geral só tenho que agradecer a Deus, pois saúde,desenvolvimento,afeto,memória, inteligência,  estão muito bem.

 “Difícil não é colocar uma criança no mundo. Difícil é colocar o mundo dentro da cabecinha de uma criança!” Joazinho Trinta, carnavalesco.

Postagens populares

meus vídeos no youtube

Loading...